O que é Torrent e como funciona

25 fevereiro 2010

O que é Torrent e como funciona

Meus caros, estamos em tempos de conexões cada vez mais rápidas e o compartilhamento de arquivos via web está também cada vez mais popular, alcançando pessoas e classes nunca imaginadas. Aqui vamos explicar um pouco sobre uma destas formas de compartilhamento, que usa a tecnologia chamada P2P. As tecnologias de P2P (peer to peer) são um dos meios mais utilizados de compartilhamento de arquivos de qualquer tipo pela internet. Uma rede P2P que ganhou bastante destaque é o BitTorrent, que oferece um modo de funcionamento inovador, eficiente e estável. Os principais conceitos que estão por trás do BitTorrent são explicados a seguir.


O que é torrent?

Criado por Bram Cohen em 2003, torrent ou BITtorrent, é um protocolo de processamento rápido que permite ao utilizador fazer download (descarga) de arquivos indexados em websites. Essa rede introduziu o conceito "partilhe o que já descarregou" maximizando muito o desempenho e possibilitando downloads rápidos e imediatos. Tem sido o alvo nº1 de empresas que lutam em defesa da propriedade intelectual, devido a alegações de violação de copyright autoria de alguns arquivos transmitidos pela rede. Estima-se que BitTorrent é responsável por 35% dos dados transferidos na internet mundial.

Na verdade, o BitTorrent é um protocolo, que, como já dito, permite o compartilhamento de qualquer tipo de arquivo. Devido a isso, o BitTorrent não pode ser considerado um software para fins ilegais (como foi o pioneiro Napster, por permitir a distribuição de músicas no formato MP3), pois qualquer pessoa pode usar o protocolo para distribuir arquivos. Existem até empresas que compartilham seus softwares por este meio. Apenas como exemplo, suponha que um escritor criou um e-book (livro digital). Além de disponibilizá-lo em um site, o autor pode distribuí-lo pelo BitTorrent, e isso não fere nenhuma lei de proteção à propriedade intelectual. Se conteúdo ilegal é distribuído pelo serviço, a responsabilidade, neste caso, é dos usuários que o fazem, e não do programa.



Como funciona?

Para que você possa fazer download (e upload) pelo BitTorrent, é necessário que cada item compartilhado esteja associado a um arquivo denominado torrent, cuja extensão é .torrent (por exemplo, HomemAranha.torrent). Trata-se de um arquivo pequeno, mas que contém as informações necessárias para o compartilhamento, como o local onde o arquivo está e a seqüência que verifica a integridade deste. Esse arquivo pode estar disponível em um site e, quando acessado, inicia o download do arquivo compartilhado (desde que o BitTorrent esteja instalado). Isso significa que você precisa achar um torrent do arquivo que você deseja baixar. Para encontrar torrents você pode usar sites voltados a este fim. Há vários na internet, basta digitar a palavra "torrent" em mecanismos de busca para localizá-los. Um dos mais conhecidos atualmente é http://www.mininova.org. No Brasil, recomendo o http://www.semlimites.org.


Na rede BitTorrent os arquivos são quebrados em pedaços de geralmente 256Kb. Ao contrário de outras redes, os utilizadores da rede BitTorrent partilham pedaços em ordem aleatória, que podem ser reconstituídos mais tarde para formar o arquivo final. O sistema de partilha otimista ao máximo o desempenho geral de rede, uma vez que não existem filas de espera e todos partilham pedaços entre si, não sobrecarregando um servidor central, como acontece com sites e portais de downloads, por exemplo. Assim, quanto mais utilizadores entram para descarregar um determinado arquivo, mais largura de banda se torna disponível.



Razões para Usar Torrent

O que foi dito acima certamente é suficiente para justificar o uso do BitTorrent. No entanto, há outros bons motivos:
• Segurança: o BitTorrent é muito seguro, pois compartilha apenas o arquivo que você estiver baixando. Ele não utiliza diretórios compartilhados, o que evita, por exemplo, que vírus se instalem nestas pastas e contaminem o computador de outro usuário;

• Multi-plataforma: o BitTorrent é multi-plataforma, ou seja, não é destinado a um único sistema operacional. Você pode utilizá-lo no Windows, no Mac OS e no Linux, por exemplo;

• Código-fonte aberto: pelo menos em parte. No segundo semestre de 2007, quando o BitTorrent 6 foi lançado, os responsáveis pelo programa fecharam o código-fonte de seu cliente oficial, uma vez que este passou a ser baseado no cliente µTorrent, que nunca foi aberto (mas sempre foi gratuito). Em relação ao protocolo BitTorrent em si, o código-fonte continua aberto, pelo menos por enquanto. Para saber mais o assunto, visite o site do BitTorrent para desenvolvedores;

• Gratuito: você não precisa pagar nada para usá-lo (no entanto, você pode fazer donativos ao criador do serviço);

• Continua de onde parou: você não precisa deixar seu computador ligado até o download terminar. É possível interrompê-lo e posteriormente o BitTorrent continua de onde parou.



Nomenclaturas






Para entender o compartilhamento de arquivos do BitTorrent, é necessário conhecer alguns termos:
• Seed (ou seeding): é a denominação dada ao computador que possui um arquivo completo (100%) compartilhado, como o computador que primeiramente disponibilizou o arquivo e os outros que o baixaram por inteiro;

• Peer: nome dado a cada computador que compartilha arquivos. Quando você está baixando algo pelo BitTorrent, seu computador é um peer, ou seja, um ponto ou um nó da rede;

• Ratio: É a forma de medição da relação entre Upload x Download. Exemplo: ao baixar 10 MB (download) e enviar 5MB (upload), o seu ratio será 0.5, pois 5/10=0.5

• Leech (ou leeching): é a denominação dada ao momento em que um computador faz download. No linguajar popular, você neste momento é um sanguessuga;

• Tracker: denominação dada ao servidor que é responsável por organizar os arquivos disponíveis e direcionar os downloads;

• Announce: O "Announce", ou simplesmente “Anúncio” nos clientes torrents são listas de servidores (trackers) que redirecionam os downloads dos clientes para os servidores ou usuários que possuem os arquivos e que estejam conectados a rede torrent, esse método é útil e traz grande diferença na velocidade do download.

• Swarm: nome dado ao conjunto de computadores que estão compartilhando o mesmo arquivo. Se, por exemplo, o arquivo HomemAranha.avi está sendo compartilhado por 2 seeds e por 8 peers, o swarm do arquivo contém 10 computadores (2 seeds + 8 peers).



Tracker

O tracker é um dos principais responsáveis pelo funcionamento da rede do BitTorrent, pois ele praticamente gerencia a distribuição de arquivos porque possui informações sobre onde estão os computadores com os arquivos compartilhados num determinado momento.
Quando você inicia um download, o tracker é consultado para que a lista de computadores que possui o arquivo em questão seja informada. Enquanto o download vai sendo feito, seu computador se comunica periodicamente com o tracker para informar o quanto de download já foi feito e para saber o quanto falta. É importante ao tracker saber o quanto já foi baixado ao seu computador porque assim ele pode indicar sua máquina à outra que esteja precisando do "pedaço" do arquivo que você já tem. Assim, quanto mais computadores estiverem compartilhando aquele arquivo, mais rápido será o download, pois há mais opções de fontes.
Um fato interessante, é que se por alguma razão o tracker parar de funcionar (quando isso ocorre, geralmente é temporário) o swarm continua compartilhando o arquivo que lhe cabe, afinal, cada computador sabe de onde fazer o download. No entanto, nenhuma outra máquina poderá fazer parte do swarm, pois não há tracker que possa direcioná-la.
Em sua grande maioria, os trackers são públicos, onde qualquer pessoa poderá fazer downloads ou utilizar de seus Announce e publicar sem maiores problemas os seus arquivos. Na internet você encontrará sites, conhecidos como “Torrent Search Engines” que fazem buscas em trackers públicos e indexam em seus banco de dados, dentre os principais temos: newtorrents, torrent-finder, isohunt, thepiratebay, torrentportal,

Existem também trackers privados, onde na sua grande maioria, para fazer parte é necessário receber um convite de algum membro já cadastrado. Os trackers privados prezam por fazer controle de ratio, onde o membro deverá manter um ratio acima do que baixou, desta forma, os torrents de trackers privados conseguem ter uma taxa de transferência bem maior do que os trackers públicos, pois sempre terá muitos seeds.



Semeamento via web

Um recurso implementado recentemente no BitTorrent é a sementeira via web. A vantagem desse recurso é que um site pode distribuir um torrent de um determinado arquivo ou grupo de arquivos e torná-los disponíveis para download do mesmo servidor web. Este recurso pode simplificar bastante o semeamento e o balanceamento de carga do servidor, assim que os diversos clientes programarem este recurso. Em teoria isso poderia tornar o download de um arquivo na rede BitTorrent tão fácil quando baixar de um site comum, enquanto a carga do uso de banda é distribuída entre os usuários que estão baixando aquele arquivo. Esse recurso ainda é extra-oficial, criado por um autor de um cliente alternativo.



Clientes Torrent

Exemplo de cliente torrent
Você pode baixar uma versão do BitTorrent apropriada para seu sistema operacional diretamente do site oficial: www.bittorrent.com. No entanto, como o BitTorrent em si é um protocolo, é interessante baixar um programa cliente para ele (no Linux, é possível usá-lo até por linha de comando). Um dos mais conhecidos é o gratuito ABC, disponível em http://pingpong-abc.sourceforge.net como software livre. Existem muitos outros clientes disponíveis (o navegador de internet Opera, por exemplo, contém um cliente de BitTorrent embutido), cada um com características diferentes, por isso, pesquise em sites de download para conhecer outras opções.
Um ótimo cliente torrent para sistema Windows é o µTorrent. apesar de ser utilizável também em plataformas Linux através do Wine e/ou do Cedega. O programa ocupa em torno de 200KB e consiste em um único arquivo. Foi desenvolvido para utilizar o mínimo possível de recursos do computador ao mesmo tempo em que visa oferecer a mesma funcionalidade dos outros clientes como o Azureus ou BitComet.
O seu desenvolvimento teve início em 2005, contudo a 7 de Dezembro de 2006 o programador Ludvig Strigeus e o CEO Bram Cohen da empresa BitTorrent anunciaram a aquisição por parte desta empresa do aplicativo µTorrent. As descargas do software continuam entretanto disponíveis gratuitamente. A versão 6.0 do cliente BitTorrent é baseada no código-fonte do µTorrent.
Faça uma comparação dos diversos Clientes BitTorrent e defina o que mais lhe agrada.



Criando um Torrent na Prática

Aqui ensinarei da forma mais simples possível, como compartilhar seus arquivos na rede BitTorrent. Usarei como cliente o utorrent 1.8 Beta e como tracker, usarei o anúncio do thepiratebay.

1. Clique em “Criar novo torrent”, aparecerá à tela de criação.

2. Clique no botão “Adicionar diretório” caso queira compartilhar no torrent mais de um arquivo, se for apenas um único arquivo clique em “Ad. Arquivo”.

3. Na caixa “Rastreadores”, coloque os anúncios do piratebay:
http://tpb.tracker.thepiratebay.org:80/announce
udp://tpb.tracker.thepiratebay.org:80/announce

4. Em “Comentários” você pode criar uma descrição do seu arquivo, ou o que desejar. Esse texto não poderá ser mudado futuramente por você e nem por quem baixar o .torrent

5. Marque “Começar a semear” para que assim que for criado o .torrent, seu cliente já comece a semear.

6. Pra finalizar, clique em “Criar e salvar como...” Assim que for criado o .torrent, abrirá uma janela para salva-lo. Salve e distribua este arquivo para que seja compartilhado.

Dica: Com o seu .torrent criado, você pode distribuí-lo nos grandes sites de torrents nos quais citei anteriormente: newtorrents, torrent-finder, isohunt, thepiratebay, torrentportal, dentre muitos outros. O importante é compartilhar.



Finalizando

Não é exagero chamar o BitTorrent de uma grande invenção. Trata-se de algo bastante funcional e transparente. Com a popularização das conexões de banda larga, a possibilidade de compartilhar arquivos se torna real e pode-se dizer que o BitTorrent chegou na hora certa. Como nada é perfeito, há determinados arquivos que, por não serem tão populares, são difíceis de encontrar no BitTorrent. Em compensação, o programa é excelente para lidar com arquivos grandes, mesmo os que têm centenas de megabytes. Se você ainda não usa o BitTorrent, está dada a dica, afinal, quanto mais usuários o serviço tiver, melhor será sua qualidade.



3 comentários:

Jonathan Ribas disse...

Usei o seu site como referência para fazer a minha aula. Obrigado por todas estas informações!
Te coloquei como referência aqui:
http://www.jonathanribas.com.br/blog/2011/07/torrents-o-que-sao-e-para-que-eles-servem/

Sandro Marcos disse...

@ Jonathan Ribas: Valeu meu caro!

Robson de Castro disse...

Muito esclarecedor seu artigo. Ótimo para quem não tem a menor ideia do que seja Torrent.

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Fique à vontade para esclarecer suas dúvidas ou somente dizer o que achou do artigo!

Pribido deixar dados pessoais como Email, MSN, Telefone, Endereço, etc.
Por favor não use palavras agressivas.
Não faça Spam.